The HABRI Foundation is calling for research proposals to investigate the health outcomes of pet ownership and/or animal-assisted activity or therapy, both for the people and the animals involved. To learn more, visit https://habri.org/grants/funding-opportunities/ close

 
You are here: Home / Theses / A terapia assistida por animais como uma forma de associação : um estudo antropológico sobre a relação humano-animais na promoção da saúde humana, no Brasil / About

A terapia assistida por animais como uma forma de associação : um estudo antropológico sobre a relação humano-animais na promoção da saúde humana, no Brasil

By Ivana dos Santos Teixeira

View Link (HTM)

Licensed under

Category Theses
Abstract

Este trabalho trata de estudo acerca da relação contemporânea entre humanos e animais no contexto das Terapias Assistidas por Animais – TAA, prática terapêutica crescente na promoção da saúde humana. A pesquisa de campo foi realizada através da observação participante de diferentes projetos de TAA, desenvolvidos em hospitais públicos e casas geriátricas, nas cidades de Porto Alegre, São Paulo e Rio de Janeiro, Brasil. Metodologicamente esta pesquisa apoiase, fundamentalmente, na etnografia das sessões terapêuticas, com o objetivo de perceber alguns dos princípios que estruturam a prática, sobretudo no que tange à relação humanoanimal e à interação entre os seres que participam do processo terapêutico. Como horizonte teórico, debruceime sobre o pensamento de Tim Ingold, cuja base analítica assentase na consideração de que as ligações que estabelecemos com a natureza, seres e coisas fazem emergir práticas e estilos de vida, como uma chave pragmática para pensar o afloramento de sensibilidades e mundos. Essa proposição tem um caráter prático servindome como suporte junto aos trabalhos de Andrés Georges Haudricourt, Carole Ferret e Perig Pitrou, para tentar entender alguns meandros dessa relação, tomando como base as ações trocadas entre os humanos e os animais, durante a sessão terapêutica. Exploramos, igualmente, alguns discursos relacionados às ações trocadas entre os participantes da sessão, nos aproximando do que se poderia chamar de uma racionalidade terapêutica, de acordo com o pensamento de Madel Luz (2005), que seria própria da atividade, ligandoa ao sistema de saúde convencional, mas também oferecendo inúmeros novos modos de relação e com a ampliação das maneiras de expressão. A terapia em questão, enquanto tecnologia de cuidado, se adapta aos preceitos da Reforma Sanitária e da Reforma Psiquiátrica (Amarante, 1992), pois abrange processos de mudanças em nível legislativo, político, teórico e prático. Este trabalho aponta para uma forma diversificada de técnica terapêutica cujo dispositivo terapêutico está associado à interação do paciente com um animal permitindo, com isso, a crítica aos processos de medicalização da vida (Illich, 1975; Gaudenzi e Ortega, 2012) em acordo apelo para que outros atores sociais entrem em contato com os “doentes”, além dos médicos e enfermeiros (Palombini, 2012). Os animais, sob o amparo de movimentos em defesa dos animais e dos benefícios (fisiológicos e afetivos) advindos da interação interespecífica na TAA, ocupam o prestigiado estatuto de “terapeutas”.

This work deals with a study about the contemporary relationship between humans and animals in the context of Animal Assisted Therapies TAA, a growing therapeutic practice in the promotion of human health. The field research was carried out through participant observation of different TAA projects, developed in public hospitals and geriatric homes, in the cities of Porto Alegre, São Paulo and Rio de Janeiro, Brazil. Methodologically, this research is based essentially on the ethnography of the therapeutic sessions, in order to perceive some of the principles that structure the practice, especially regarding the humananimal relationship and the interaction between the beings that participate in the therapeutic process. As a theoretical horizon, I focused on the thinking of Tim Ingold, whose analytical basis rests on the consideration that the bonds we establish with nature, beings and things, emerge practices and lifestyles, as a pragmatic key to thinking the outcrop of sensibilities and worlds. This proposition has a practical character serving as a support with the works of Andres Georges Haudricourt, Carole Ferret and Perig Pitrou, to try to understand some meanders of this relationship, based on the actions exchanged between humans and animals, during the therapeutic session. We also explored some discourses related to the actions exchanged between the participants of the session, approaching what could be called a therapeutic rationality, according to the thought of Madel Luz (2005), which would be characteristic of the activity, linking it to the Conventional health system, but also offering innumerable new ways of relating and expanding the ways of expression. The therapy in question, as a care technology, adapts to the precepts of Sanitary Reform and Psychiatric Reform (Amarante, 1992), since it encompasses processes of changes at the legislative, political, theoretical and practical levels. This work points to a diversified form of therapeutic technique whose therapeutic device is associated with the patient's interaction with an animal, thus allowing criticism of the medicalization of life processes (Illich, 1975; Gaudenzi and Ortega, 2012). that other social actors come in contact with the "patients", besides doctors and nurses (Palombini, 2012). The animals, under the protection of movements in defense of the animals and the benefits (physiological and affective) arising from interspecific interaction in the TAA, occupy the prestigious status of “therapists”.

Submitter

Marcy Wilhelm-South

Purdue University

Date 2015
Pages 346
Department Instituto de Filosofia e Ciências Humanas
Degree Doctorate
URL http://hdl.handle.net/10183/179467
Language Portuguese
University Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Instituto de Filosofia e Ciências Humanas. Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social.
Cite this work

Researchers should cite this work as follows:

Tags
  1. Animal-assisted therapies
  2. Anthropology
  3. Brazil
  4. Human-animal relationships
  5. Human health
  6. open access
  7. social anthropology
Badges
  1. open access